quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Astúcias de Pinto do Monteiro



Pinto do Monteiro foi um poeta superlativo. Astuta raposa, cobra das mais venenosas. O seu poder de criação e a velocidade de raciocínio muitas vezes faziam as palavras tropeçarem umas nas outras, não pelo verso quebrado, absolutamente, mas quase engolindo sílabas, dada a ligeireza dos versos despejados em turbilhão. Autor de versos contundentes, tudo nele transpirava grandiosidade. Foi um gênio da cantoria.


Pinto já se encontrava doente e sem enxergar quando João Furiba chegou na porta de sua casa e, saudando o poeta, disse:

"Há tempo que eu não vinha
nesta santa moradia
visitar o velho Pinto
Me traz tanta alegria
Que é mesmo que ter tirado
O bolão da loteria"

Pinto com muito bom humor, disse:

"Eu não imaginaria
que você chegasse agora
Com essa sua presença
Obtive uma melhora
Quer ver eu ficar bom mesmo
É quando você for embora"

terça-feira, 30 de setembro de 2008

ALTA FLORESTA REALIZA A 25ª EDIÇÃO DE SEU FESTIVAL DA CANÇÃO - FESCAF


Começaram, 17, as inscrições para a participação no 25º Festival da Canção de Alta Floresta (FESCAF). O Festival acontecerá nos dias 30 e 31 do mês de outubro e 1º de novembro. Artistas, compositores e Cantores de outros estados brasileiros, já estão fazendo as inscrições, a exemplo do que acontece nos outros anos.

Conforme o presidente da comissão do Fescaf, Ronaldo Adriano, na edição deste ano, comemoraremos os 25 anos deste importante festival que surgiu nos tempos que ainda imperava o garimpo. O FESCAF resistiu às crises econômicas que Alta Floresta já atravessou por conta da garra dos artistas do município que sempre lutaram para que o Festival continuasse existindo.

“Este festival só chegou neste ponto devido ao trabalho eficaz que os artistas altafloretense e do Departamento de Cultura que se dedicaram no decorrer de todos estes anos. Esta é uma edição muito importante”, disse Ronaldo Adriano.
Conforme ele, neste ano há a possibilidade de haver algumas novidades no festival, como a realização de algumas palestras sobre produção musical para os artistas da área, já que ainda é notável uma carência de profissional do município que trabalhe nesta área.

A 25ª edição do Festival da Canção de Alta Floresta acontecerá nas dependências da AABB. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Alta Floresta e é organizado pela Comissão Organizadora Mista, composta por pessoas do Poder Público e da Sociedade Civil.

“Esperamos comemorar o 25º Festival em grande estilo e com boa participação por parte da população, que já tem comparecido de forma satisfatória”, completou.
O 25° FESCAF será constituído de uma Modalidade e duas Categorias, sendo: Modalidade Única em Composição Inédita e nas Categorias MPB e Sertaneja. Na categoria Composição Sertaneja, a temática deverá ser obrigatoriamente do Campo. Cantores residentes em Alta Floresta também poderão se inscrever numa categoria denominada simplesmente de INTERPRETAÇÃO ou seja, músicas não inéditas. “Para a categoria interpretação não serão aceitas músicas gospel, evangélicas e Sacras”, informa Ronaldo Adriano. A premiação para 1°Lugar- R$ 2.600,00 + Troféu, 2° Lugar- R$1.600,00 + Troféu, 3° Lugar- R$1. 150,00 + Troféu, 4° e 5º Lugar- Troféu. Para a interpretação que é uma categoria específica para Alta Floresta a premiação é 1° Lugar- R$ 600,00 + Troféu, 2° Lugar- R$ 400,00+ Troféu e 3° Lugar – R$ 300,00 + Troféu. Para mais informações e baixar o material para inscrição e regulamento podem consultar o site www.altafloresta.mt.gov.br.

Contato:
Coordenação de Cultura de Alta Floresta/MT
Telefones: 66 - 3903-1255 - 8401-6657

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

O desafio a Trupizupe

* Trupizupe - o raio da silibrina, foi o maior violeiro/cantador que já se “viu” pelas bandas do Nordeste. De todos os desafios que já participou, nunca perdeu sequer uma peleja. Pra ter idéia, Trupizupe é capaz de deixar Seu Lunga, Virgulino Lampião e Capitão Nascimento parecendo moças delicadas, quando recita versos com sua viola.

E foi um cabra desse quilate que o poeta Jessier Quirino teve coragem de desafiar. Mas antes de ouvir esse desafio, veja a música cantada por Zé Ramalho que fala bem sobre a fama de Tupizupe. Pode vê que eu espero.

Rasga Rabo Bagunçador de Bagunça
(Jessier Quirino)



Trupizupe oia tu num me assusta
com a fama da tua valentia
porque esta macheza é freguesia
e até nem me parece tão robusta
uma boa palmada não me custa
pois no fundo eu te acho delicado
se tu és um valente escolado
eu quebrei no cacete a tua escola
o teu mestre saiu de padiola
e teu supervisor invertebrado.

No jardim de infância eu fui valente
e o nome da escola era bufete
no primário estudei no canivete
no ginásio no bote de serpente
como eu era um aluno inteligente
logo cedo já tinha me formado
Lampião tinha sido reprovado
por froxura e por falta de frieza
hoje, pós-graduado em malvadeza,
vendo pena de morte no mercado.

Eu sou topada de unha encravada
Sou gilete no mei do tobogã
Sou o flagra da foda no divã
Sou feiúra dum talho de inchada
Sou um choque no furo da tomada
Sou ferrugem na agulha de injeção
Sou judeu se vingando de alemão
Cata-vento voando num comício
Sou a falta de droga num hospício
Queimadura de larva de vulcão.

Sou rolo compressor desgovernado
Libanês dirigindo um carro-bomba
Sou uns 300 quilos de maromba
Despencando do braço levantado
Sou carrasco esperando um condenado
Sou a queda fatal da guilhotina
Metralhada cruel de uma chacina
Marretada no dedo polegar
Eu sou o fósforo acesso pra fumar
Que explodiu o tambor de gasolina.

Eu sou a folha perversa da urtiga
Despontando no vaso sanitário
Querosene na mão do incendiário
Solitária mexendo na barriga
Sou machado afiado numa briga
Sou o chifre botado em Romeu
Sou Menguele com raiva de judeu
Sou o tiro certeiro do arpão
Sou a aids injetada no machão
Que enlouquece jurando que não deu.

Eu sou navalha na mão de delinqüente
Jacaré triturando um caçador
Tirotei dentro dum elevador
Araldite numa escova de dente
Eu sou ninho de cobra num acidente
Sou ladrão seqüestrando um delegado
Comeine depois do atentado
Sou 500 mil watts de energia
Sou tesoura cruel de cirurgia
Que ficou na barriga do operado.

Eu sou o estouro brutal de uma boiada
Sou a fúria de um tubarão faminto
Cão de guarda trancado num recinto
Sou três tapas depois de uma facada
Eu sou rinoceronte em disparada
Explosão de usina nuclear
Sou mudança que cai do décimo andar
Sou o corte inflamado do punhal
Cianureto maior que sonrrisal
Que o nazista obrigou a mastigar.

Eu sou o maior beliscão do alicate
Maçarico cortando gente ruim
Tiro ao alvo na cara de Delfim
Criolina na sopa de tomate
Eu sou o pênalti perdido num empate
Sou scania sem frei na contramão
Gente besta coberto de razão
Matador disfarçado de molengo
Sou torcida irada do flamengo
Perseguindo o juiz que foi ladrão.

Eu sou explosão de foguete iraniano
Que subiu carregado de safado
Sou negrada invadindo o senado
Dando o golpe em galego africano
Peixerada de paraibano
Sou mijada na cara do doutor
Instrumento de esquartejador
Sou engasgo com bola de sinuca
Eu sou o tiro certeiro de bazuca
Que matou o infeliz do ditador.

Trupizupe prepara a tua cova
é chegado o dia da decisão
vai fazer tua última comunhão
pois eu já preparei a tua prova
de arame farpado vai ter sova
vai lembrando do teu aprendizado
pois eu já to ficando endiabrado
só de raiva já dei um saculejo
dei até beliscão num azulejo
mas ainda não to mal-humorado.

* Na verdade o lendário Trupizupe é o nome do personagem criado pelo escritor Bráulio Tavares. Trata-se de um herói valente e espertalhão, ao estilo do João Grilo do “Auto da Compadecida”. Acabou se tornando uma lenda nordestina, bem como “Seu Lunga” – sujeito mais ignorante do mundo.

Fonte: Cultura Nordestina

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Concurso de cordel e poesia em Mamanguape-PB

A Universidade Federal da Paraíba promoverá o 1º Concurso Cultural de Poesia e Literatura de Cordel na cidade de Mamanguape, Paraíba. O evento, que terá a participação de poetas e cordelistas, ocorrerá no dia 21 de novembro, das 08h00 às 17h30, reunindo estudantes e professores dos municípios de Mamanguape e Rio Tinto. Serão premiados os 1º 2º e 3º lugares nas categorias de melhor poesia, literatura e desenvoltura.

Segundo o coordenador geral Ythoganny Nicácio Silva de Araújo, o concurso tem como principal objetivo estimular os professores a adotarem a poesia e literatura de cordel como meio de ensino nas escolas e promover uma integração poético/cultural entre as escolas de ensino médio e fundamental dos municípios das cidades. O evento será realizado no Centro Cultural Fênix e conta com o apoio da secretaria da educação e cultura de Rio Tinto e Mamanguape.

Mais informações com o coordenador do projeto Ythoganny Silva através do email: g.deorvalho@hotmail.com

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

A POESIA EXISTE, RESISTE E INSISTE NA BAHIA

MOVIMENTO CULTURAL ARTPOESIA

Lançada em maio de 1999 mensalmente com coordenação de José da Boa Morte e Carlos Alberto Barreto (colaborador, editor, escritor, poeta, acadêmico da Academia de Letras do Recôncavo) com poemas dos mesmos e de J. K. Pinto, Castro Alves, Gonçalves Dias, além de curiosidades, piadas, contos e o apoio dos anunciantes locais. Tudo isso em 04 páginas em policromia nasce o SUPLEMENTO LITERÁRIO DO EVENTO CULTURAL ARTPOESIA. Na 2ª edição de 08 págs. – nossos colaboradores contaram com o apoio de mais anunciantes e novos poetas baianos que ilustraram nossa revista com primor, além dos já conhecidos nacionalmente como Drummond e Vinícius de Morais. Tivemos poemas de apoio às causas sócio-raciais. Assim prosseguimos com edições posteriores.


*Em junho/julho de 2003, o Suplemento no seu Ano IV, na 7ª edição em policromia (como nos dias de hoje) ganha ares de Revista Cultural (32 págs.) com ilustrações, capas, desta vez homenageando a Independência da Bahia (capa Maria Quitéria) e matérias sobre grandes personalidades baianas, poema “Ao Dois de Julho” de Castro Alves (edição esgotada) em homenagem a data comemorativa e cívica. Até esse momento contávamos com 36 edições em 04 anos de existência, 340 mil exemplares, encantando leitores e escritores com humor, música, contos, crônicas, curiosidades e muita poesia. Por mês distribuíamos 3.000 exemplares, chegando a atingir 15 mil novos leitores em escolas de Salvador e interior baiano passando por algumas cidades como Aracajú, Cuiabá, Santo André, Rio de Janeiro, etc.
Tudo isso graças a uma coordenação estruturada junto a novos e antigos colaboradores, distribuidores, coordenadores de intercâmbio cultural, editores, poetas, escritores (colaboradores) em pró do Movimento Cultural Artpoesia, sem fins empregatícios e sem apoio do governo. Tudo pelo amor a arte. Mesmo com dificuldades seguimos enfrente apenas com o apoio dos anunciantes e dos colaboradores, além de divulgadores que vendem em locais diversos por preço simbólico para quitar custos pessoais com a revista. Nesta caminhada seguimos enfrentando dificuldades econômicas.
No Ano V a Revista Artpoesia segue esgotando prateleiras da Feira Internacional do Livro no Centro de Convenções da Bahia conquistando o carinho dos estrangeiros e ganhando mais colaboradores de países como EUA, Cuba, Argentina, Portugal, Itália, Espanha, França, Suíça. A revista chega ao seu 50º número com a promessa dos seus coordenadores de continuar o seu lema: “A POESIA EXISTE, RESISTE E INSISTE!”
Um projeto sólido que avança no tempo ainda sem apoio cultural, financeiro do governo brasileiro.
9 ANOS DE RESISTÊNCIA

Hoje, com muito orgulho completamos em 2008. Mesmo sem sede própria e enfrentando dificuldades, seguimos com mais colaboradores e os já “Resistentes” no movimento para que nosso projeto “Exista!” Comemorando a edição com capa Manuel Du Bocage (1765/1805) e carregando a bandeira da arte e cultura acessível á todos, revelamos novos talentos nas artes em geral. Sempre contribuindo e nunca esquecendo os grandes poetas mundiais, dando ênfase aos nossos poetas e escritores. O Brasil tem uma história literária que não poderá ser esquecida. Tudo isso com o apoio dos amigos e colaboradores que juntos fazem a diferença e melhor, mostrando que o Brasil poético existe e poesia é vendável sim ao contrário que muitas editoras tentam fazer-nos entender que brasileiro não lê poesias. Mesmo a contragosto de muitos, vamos fazendo a nossa parte em nosso estado:
“TODOS JUNTOS”.
Este exemplo dado pelo Movimento Arte Cultural Artpoesia pelos seus coordenadores gerais José Boa Morte e Carlos Alberto Barreto, colaboradores, distribuidores realmente faz a diferença como diz o ditado: “A União faz a Força!” em toda ação, associação ou movimento.
José Boa Morte e Carlos A. Barreto (Fundadores do Artpoesia) no lançamento do poeta social e colaborador da Revista Cultural Artpoesia Carlos Batista - Livro: Ser Poeta * (preço do livro 02 latas de leite para o Nacci)
Carlos A. Barreto e Malu Freitas
Como uma militante em pró da causa poética, defendendo os direitos dos poetas, artistas em geral, participo com muito orgulho da Revista Artpoesia como escritora, divulgadora, pesquisadora, poetisa junto ao amigo Paulo Esdras ABRACADABRA/BA, enriquecendo a mesma com belas obras poéticas nossa cultura baiana e a causa do ABRACADABRA.
*AGRADEÇO AO APOIO DO CARLOS ALBERTO BARRETO QUE TEM NOS REPRESENTADO PELO ARTPOESIA-ABRACADABRA EM TODOS OS LUGARES CARREGANDO A BANDEIRA DOS MOVIMENTOS MENCIONADOS JUNTO ÁS PERSONALIDADES LITERÁRIAS BAIANAS.
MALU FREITAS
AGENTE COLABORADORA DO ABRACADABRA E ARTPOESIA.
Fotos:Arq. Pessoal

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Use e abuse da Biblioteca Pública


Hoje venho com uma boa dica para o fim de semana. Para quem ainda não conhece, apresento o Portal Domínio Público, desenvolvido em software livre por iniciativa do Ministério da Educação. Trata-se de uma biblioteca pública. Um site onde você tem acesso gratuito a imagens, sons, textos e vídeos dos maiores artistas de todos os tempos. Só de literatura portuguesa são 732 obras.

Acesse: Portal Domínio Público

Imagine um lugar onde você pode gratuitamente:

- Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci;
- Escutar músicas em MP3 de alta qualidade;
- Ler obras de Machado de Assis ou a Divina Comédia;
- Acesso a obras de Shakespeare em português;
- Ter acesso às melhores historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA;
- Realizar pesquisas sobre teses e dissertações de mestrado e doutorado;
- Publicações sobre a educação.

Além disso, você também pode colaborar como:

Voluntário
Digitalizando obras que já se encontram em domínio público.

Autor
Cedendo obras de sua autoria, se você é escritor, músico, fotógrafo, ilustrador, cineasta etc.

Parceiro
Cedendo os direitos autorais de obras que a sua organização - pessoa jurídica - detenha.

Tradutor
Traduzindo obras que já se encontram em domínio público.

A dica está ai. Usem e abusem dessa ferramenta cultural gratuita e funcional. Bom fim de semana.

Fonte: Cultura Nordestina

quinta-feira, 10 de julho de 2008

PORTO BELO SC-CASA DO TURISTA/SEMANA DE GASTRONOMIA




A Casa do Turista em Porto Belo SC é uma referência na retratação da arte manual e artesanal da região.


Parabéns pela iniciativa.


ROBERTO JOSÉ E ROSELI PINHEIRO-ARTESÃOS DO MAR



O casal Roberto e Roseli há 4 anos trabalham com peças estilizadas tendo como matéria-prima conchas e resina.

Sem dúvida nenhuma são uma referência em Porto Belo-SC produzindo peças na simplicidade e originalidade.

Estão localizados na Avenida Governador Celso Ramos, 3208(saída para Bombinhas) Porto Belo SC-Brasil.

Publicado por Djalma e Soraya Amaral.




domingo, 6 de julho de 2008

EROTIDES , NOVA COMPANHEIRA DO CENTRO DE REFERÊNCIA CULTURAL PROVITA


FIZEMOS QUESTÃO DE LEVAR A PÚBLICO ESTA HISTÓRIA DE VIDA E DETERMINAÇÃO, O TEXTO ABAIXO É CÓPIA FIEL DO AUTO RELATO:


Você sabe quem é Erotides, conhecida como Tide?

Pela lembrança e a memória dos fatos acontecidos e muito mais que isto, vou me identificar.Formação Pedagoga, Assistente Social, supervisora Escolar e Administração Escolar
Residente em Itapema – Meia Praia natural de Jaraguá do Sul.
Como educadora confessa que sempre teve a preocupação e a visão de desenvolver um trabalho comunitário, social, cultural, religioso, aluno família, comunidade, onde por vezes não foi fácil e aceito porém, a base e a semente foram lançadas.
Os objetivos eram pertinentes e nos caminhos dos anos e novos projetos lançados.
Em São Paulo no Bairro Cambuci, projeto social com alunos 2° grau, visita aos curtiços e promoções de arrecadação de alimentos, roupas e etc.
No Sul de Santa Catarina nos anos 80 projetos Hortas Comunitárias, escolar, clube de Mães na Escola.
Incentivo e estudo de ervas e plantas medicinais, onde o reconhecimento era feito em bloco com os alunos e mães, enfim envolvendo a comunidade.
No litoral catarinense, mais precisamente em Itapema, Meia Praia, o objetivo principal foi direcionado especificamente a Educação e a integração das famílias dos pecadores tendo como base a socialização e respeitando acolhendo e somando valores culturais.
Exemplo: A primeira festa junina apresentada com a dança quadrilha foi ensaiada pela Professora no barraco de maderite da capela do centro de Itapema.Foi assim que Erotides deu início a um projeto na área de Educação Infantil na Meia Praia com crianças de 3 a 6 anos de idade, hoje Jardim de Infância “Branca de Neve”.A comunidade motivada, organizada pelo Conselho Comunitário, religioso, cultural e social.É claro que no litoral tudo convida para Artesanato e na praia, os alunos eram incentivados a arquitetar seus dons de criatividade na areia límpida e branca.Assim como os exercícios de Educação Física foram realizados na praia, não podendo excluir os peixes colhidos pelo arrastão que os alunos ganharam dos pescadores.
Hoje como professora aposentada e seu esposo Francisco Dematte, professor aposentado, unem o útil ao agradável e fazendo uma retrospectiva da caminhada pesamos em construir uma pousada familiar, para acolher você melhor idade, empresários e seus funcionários, jovens e estudantes distantes desta exuberante e maravilhosa natureza, mar, praias e montanhas.Seus objetivos preservar a natureza começando pela coleta seletiva do lixo, e a distribuição de mudas de árvores e palmeiras para os hospedes produzidas pelos proprietários Tide e Chico.
Preservar basta? Não temos de difundir, então é preservar para difundir.Erotides percebendo que algo mais a impulsionava, começou a reciclar cacos de pisos e passou fazer mosaicos nos muros e paredes da Pousada tornando assim um ambiente lindo e agradável.
O diferencial
Mas não parou por aí, pensei em algo mais para preencher seu tempo e percebendo seu potencial para o Artesanato montou sua fábrica e desenvolvendo peças artesanais em gesso, resina e sucata de madeira com motivos Marítimos, exotéricos, country e outros.
Atende atacado e varejo: (47) 3368-5408 / 91026277
Concluindo: Se teus esforços forem vistos como indiferença, não desanime, pois o sol ao amanhecer dá um belo espetáculo e a maioria da platéia continua dormindo.


sexta-feira, 20 de junho de 2008

Rádio 98,9 fm POP de Porto Belo SC Grande parceira da Cultura


Em 20/06 de 2008 no Programa Central de Jornalismo apresentado por Gilson Aguiar, na mesa de produção Bryan, acontece a entrevista retratando o Centro de Referência Cultural Provita, e o Abracadabra. O programa central de jornalismo informa seus ouvintes com qualidade e imparcialidade, dando espaço para matérias de interesse da comunidade.

Logo após recebemos a visita da Rádio FM Pop 98,9, nas pessoas de GILSON AGUIAR E CARLA SILVA em nosso Projeto, com a confirmação de parceria na divulgação deste grande Projeto Cultural de inclusão Social, com inserções semanais. CENTRO DE REFERÊNCIA CULTURAL PROVITA, ABRACADABRA SC, E A RÁDIO FM POP 98,9 EM UMA SÓ ONDA! SOLIDARIEDADE!


Soraya e Djalma Amaral

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Palestra no Museu do Estado: "A História da Gravura Brasileira e a Oficina Guaianases"

O artista plástico João Câmara ministra a palestra "A História da Gravura Brasileira e a Oficina Guaianases", nesta quinta-feira (12), às 19h, no Museu do Estado de Pernambuco (MEPE).
O evento, que é gratuito, integra o ciclo de debates promovido pela Sociedade dos Amigos do Museu do Estado.
O MEPE fica na Av. Rui Barbosa, 960, Graças.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Divulgação da Cultura em Minas Gerais


O 'PROgramação CultURAL MInas Gerais' reúne informações sobre atividades artísticas e culturais em Minas Gerais, além de divulgar artistas, textos, poesias ... Aqui todo tipo de arte vale a pena!

O movimento conta com a colaboração de artistas de diversas áreas e tem recebido uma visitação diária significativa.

Entrem e conheçam o ProgCultMG.

Disponível em : http://progcultmg.blogspot.com/

sexta-feira, 6 de junho de 2008

III Mostra Nacional de Vídeo Ambiental de Vila Velha (MONVIA)

Aberto a realizadores de filmes de todo o Brasil, com até cinqüenta minutos e produzidos a partir de 2002, com temática ambiental. Categorias: documentário, animação, institucional e reportagem. Até 18 de junho. Regulamento e inscrições no www.monviaambiental.org/principal/index.php.
A mostra competitiva acontece de 25 a 29 de junho, durante a V Feira da Terra, em Vila Velha. Informações: (27) 3299-2612

Seleção de curtas

O Cineclube Central seleciona curtas-metragens para sessões realizadas todas as quartas no Teatro Municipal de Vila Velha (ES). Os interessados devem mandar e-mail para cinecentral@gmail.com com as seguintes informações: título da obra; direção; sinopse; duração; se é pré-estréia ou somente exibição e link (caso o vídeo esteja disponível na internet). Não há ônus para os realizadores que forem exibir seus curtas. Informações: (27)8828-4125/www.cineclubecentral.blogspot.com


quarta-feira, 28 de maio de 2008

Iº SEMINÁRIO SERGIPANO DO TERCEIRO SETOR


apresenta:


O Iº SEMINÁRIO SERGIPANO DO TERCEIRO SETOR, promovido pelo Instituto Laurear de Inclusão Social – ELIS, assume hoje uma responsabilidade crescente nos processos de qualificação e capacitação do 3º setor, abrindo espaço para discussões a respeito das questões sociais e da dimensão do resgate da cidadania de instituições do nosso país.
Os avanços tecnológicos das últimas décadas, o refinamento dos meios de comunicação e a nova geografia econômica e a humana trazem profunda mudança nos valores e nas relações dos 3 setores que compõem a sociedade:

1º SETOR – O GOVERNO

2º SETOR – EMPRESA PRIVADA


3º SETOR – SOCIEDADE CIVIL

Por isso se constituem desafios que impõem participação efetiva de toda a população na conquista de novos rumos.
No atual contexto, o 3º setor ocupa papel central na formação do cidadão, cada vez mais consciente de seu papel, do seus direitos e dos seus deveres e poder de mobilização que começa a emergir com traços cada vez mais nítidos. Surge nesse processo novo perfil de sociedade, onde o conhecimento e aprofundamento na administração de projetos, torna-se o caminho que libertará o homem para navegar mares diversos e não mais configura rumos certos ou portos supostamente seguros para ancorar-se. Tudo isto exige um repensar dos setores a partir das bases técnicas, pedagógicas e metodológicas, para um modelo organizacional consistente, consciente e empreendedor. Impõe-se aí, parceria entre os diferentes agentes sociais – Governo, Empresas e Sociedade Civil – de forma a beneficiar não apenas as instituições de setores modernos e de alta gestão, mas de toda sociedade civil brasileira.


TEMÁRIO




O Iº SEMINÁRIO SERGIPANO DO TERCEIRO SETOR, será basicamente composto de quatro temas:





Dias 9 e 10/06
08h00 as 09h00 - Abertura
09h00 as 12h00 – 3º Setor e ONG's – Um Universo em crescimento

Dias 11 e 12/06
08h00 as 12h00 – Captação de recursos e marketing social na prática.
13h30 as 17h30 – oficina – continuação

Dia 13/06
08h00 as 12h00 – Planejamento de captação de recursos e Marketing para 2008 e 2009




13h30 as 17h30 – Montagem do cronograma em formato de planilha para captação de recursos
18h00 – ENCERRAMENTO






CONFERENCISTAS





1. FERNANDA DEARO Diretora-fundadora da DEARO Captação de Recursos e Marketing – SP



2. A. SERGIO MACHADO DA SILVADiretor Responsável da Revista das ONG's - SP





LOCAL DE REALIZAÇÃO





CENTRO DE CONVENÇÕES DE SERGIPE – CIC
AUDITÓRIO ABAÍS




INSCRIÇÕES ABERTAS. VAGAS LIMITADAS.

INFORMAÇÕES e INSCRIÇÕES PELOS FONES:
79 - 9142-5552 - Naédja
79 - 9964-2143 - Ivson
79 - 8809-3697 - André
ou pelos e-mails:
institutolaurear@gmail.com

PÚBLICO ALVO:

Associações, Cooperativas, ONGs, Secretarias Estaduais e Municipais de Planejamento, Ação Social, Esporte e Lazer, Cultura, Turismo, Saúde, Trabalho e Juventude, Prefeituras, professores, pedagogos, profissionais de Marketing, Estudantes de Serviço Social e Meio Ambiente, Universidades, Empresas Privadas e toda Sociedade Civil.

mais detalhes no BLOG do Instituto Laurear:

http://institutolaureardeinclusaosocial.blogspot.com/

segunda-feira, 26 de maio de 2008

A REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE ESCRITOR É VIÁVEL OU É APENAS UM LOBBY?

Por: Brigitte Luiza Guminiak


Tramita na Câmera dos Deputados desde 1998 o Projeto de Lei nº. 4641/98 que dispõe sobre o exercício da profissão de Escritor, autoria do Deputado Antonio Carlos Pannuzio (PSDB-SP).

No ultimo dia 07/05/08 o projeto foi rejeitado pela Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP), cujo relator Tadeu Fillippeli (PMDB-DF) argumentou que não existe a profissão de Escritor. Na Classificação Brasileira de Ocupações, de 2002, os autores, roteiristas, críticos, poetas e redatores de textos técnicos, entre outras, pertencem a categorias profissionais que se valem da escrita, não justificando a criação da categoria de Escritor por não se encaixar em tais parâmetros.


Em seu parecer, Fillippeli ainda ressaltou que a legislação vigente assegura os direitos dos escritores sobre suas obras e reconhece sua contribuição cultural ao País. "A Constituição determina que os autores têm direito exclusivo da utilização, publicação ou reprodução de suas obras", afirmou o relator.

Ele observou ainda que a Lei nº. 9610/98 preserva os direitos autorais "Mediante contrato de edição, em que o editor fica autorizado a publicar a obra e explorá-la pelo prazo e nas condições pactuadas com o autor”.

O Projeto tramita em caráter conclusivo.

Há de se encarar esse projeto de lei com certa reticência. O fato de ter sido aprovado pela Comissão de Educação e Cultura, e rejeitado pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, configura uma forte evidencia de lobby por parte das universidades, principalmente as particulares, com o intuito de academizar a escrita, nos moldes da regulamentação dos profissionais de Informática ou então, quando criou as Faculdades de Comunicação, que praticamente anulou as Faculdades de Jornalismo.

Uma ligeira pesquisa na mídia e verificamos que não há um único parecer favorável ao projeto, exceto o do próprio Pannuzio.

O certo é que a arte da escrita já vem inserida na grade curricular do curso de Letras (Licenciatura ou Bacharelado) só que não confere habilitação legal na escrita propriamente dita, embora seja o pré-requisito necessário para se concluir o curso como qualquer outro curso superior ou de pós-graduação.

Cabe ainda ressaltar que na Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério do Trabalho, os profissionais da escrita têm suas atividades descritas como autor-roteirista, crítico, escritor de ficção, escritor de não-ficção, poeta e redator de textos técnicos. Portanto o Projeto de Lei nº 4641/98 trata de um tema já previsto, e as referidas atividades, inclusive, protegidas pela Lei 9610/98 (Lei de Direitos Autorais).

Resta assim o viés dos grandes grupos educacionais com o vislumbre de altos lucros, sob o pretexto de criação de cursos para atender o mercado, sem se importarem com a qualidade dos ditos cursos fast-food e a correspondente qualidade do profissional formado.
Quem contrataria um Glossarista de nível superior?

A Classificação Brasileira de Ocupações descreve sumariamente as atividades dos profissionais da escrita como aqueles que “escrevem textos literários para publicação, representação e outras formas de veiculação e para tanto criam projetos literários, pesquisando temas, elaborando esquemas preliminares. Podem buscar publicação ou encenação da obra literária bem como sua divulgação”.



Referência Bibliográfica: Sites:

Ministério do Trabalho e Emprego-MTE

www.mtecbo.gov.br/busca/descrição.asp?codigo=2615

Câmera dos Deputados - Portal

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=122001

sábado, 10 de maio de 2008
















MATÉRIA DO JORNAL O ATLÂNTICO EDIÇÃO DE 10 DE MAIO DE 2008 ITAPEMA SC

www.oatlantico.com.br

Geral


Provita completa 10 anos

Fazenda de recuperação do Provita

Na próxima terça-feira o Projeto Vida Itapema (Provita) completa 10 anos. Desde sua fundação o Provita já ajudou centenas de pessoas na recuperação de drogas, com a ajuda do programa amor exigente o Provita além de recuperar o dependente químico, recupera a família em seu contexto, "Não adianta o dependente se tratar se não houver o apoio familiar, que é um ponto crucial na recuperação", disse Marlete Luciano coordenadora administrativa.

Centro de Referência Cultural Provita

A fazenda de recuperação fica no Bairro Alto Areal, hoje estão em recuperação 24 pacientes, que seguem um programa. Primeiramente é feita uma triagem com a conscientização do dependente e assim então são impostas regras, as três básicas são, trabalho, disciplina e oração, este último quesito ajuda o dependente a se agarrar na fé, são ministrados cultos e palestras de várias religiões como: luterana, espírita, evangélica, católica e presbiteriana.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) somente 10% dos dependentes que procuram ajuda se recuperam, e uma das regras do Provita é, só se pode ir para o programa duas vezes. Isso faz com que os dependentes se dediquem e se conscientizem que devem precisam se recuperar pra voltar ao convívio social. O interno fica seis meses na fazenda, depois de três meses ele pode sair todo mês cinco dias, "isso faz com que o dependente seja inserido na sociedade novamente", explicou Marlete. Na fazenda existe setores e etapas, e são aplicados os 12 passos e os 12 princípios do amor exigente. O Trabalho é um ponto fundamental, assim o dependente ocupa sua mente e descobre que pode ser útil. Todos os internos são homens e a maioria é dependente de álcool e crack.

Quando sai do programa o dependente recebe um certificado, após cinco meses fora do Provita e se estiver em sobriedade ele recebe a graduação. Esse será um evento que acontecerá no dia 13 para as comemorações do aniversário, na ocasião três receberam a graduação e cinco terminam o programa e recebem o certificado.

Segundo o coordenador geral do Provita, Sergio César Soares, eles tem conhecimento de 38 pessoas que participaram do programa e estão em sobriedade, todos estão convidados a participar das comemorações do dia 13. Sérgio conheceu o programa, pois era dependente, hoje, depois de nove anos de sobriedade é voluntário, pois viveu esse programa. "Conhecemos o Provita pela dor e continuamos pelo amor" disse Marlete sua esposa.

Todos estão convidados a participar da festa do Provita, que será dia 13 de maio às 18h30min na sede administrativa, que fica na Rua 615 número 39 Bairro Tabuleiro dos Oliveiras, autoridades como: Santos Neto, Serginho, do amor exigente, Coronel Valmor, pioneiro em projetos terapêuticos, entre outros.

Neste dia também será inaugurado o Centro de Referência Cultural Provita, que funcionará na sede administrativa, onde os ex-internos poderão trabalhar e expor seus trabalhos artesanais. Coordenado por Djalma e Soraya Amaral esse programa visa fazer um resgate cultural da nossa região, oferecer cursos, oficinas, um mural com as atividades culturais do município e um brechó, onde será comercializado o trabalho. Para isso pretendem contar com a sociedade em geral, que voluntários ministrem cursos para os internos e também participem do projeto. Eles pretendem montar oficinas de todos os tipos de artesanatos, e assim aplicar a laborterapia (terapia do trabalho). Quem tiver interesse pode procurar o Djalma ou a Soraya na sede.

ÁLCOOL

Segundo os coordenadores, o maior problema hoje de dependência é de álcool. Como é considerada uma droga lícita é muito mais difícil a aceitação da doença pelo dependente. "Até mesmo a família não acredita que seu ente está dependente de álcool, tornando essa à dependência mais complicada de se conscientizar", explicou Marlete.

No mesmo dia 13, às 19h15min, irá acontecer uma palestra na Univali, "Mídia X Alcoolismo, vencendo preconceitos". Os palestrantes José Augusto Soavinski, Jornalista e Éverson Buchi, médico psiquiatra falarão sobre o alcoolismo e as visões da mídia a respeito dessa doença que atinge grande parte da população brasileira. A palestra contará também com depoimentos de representantes do AA e debate com a platéia.

Paula Morejano


POR, DJALMA E SORAYA AMARAL

sexta-feira, 9 de maio de 2008

PROJETO VIDA ITAPEMA-PROVITA PARCEIRO DA CULTURA EM ITAPEMA SC




























LEGENDA DAS FOTOS:

CASA DA FAZENDA PROVITA

PRÉDIO DA ADMINISTRAÇÃO, ONDE ESTARÁ FUNCIONANDO O CENTRO DE REFERÊNCIA CULTURAL PROVITA.

HORTA DA FAZENDA.

LAGO DA FAZENDA.

ENTREVISTA DADA À RÁDIO FM POP 98,5 DE PORTO BELO SC A RESPEITO DA SOLENIDADE DE 10 ANOS DO PROVITA, E INAUGURAÇÃO DO CENTRO CULTURAL, NO PROGRAMA CENTRAL DE JORNALISMO COM GILSON AGUIAR. AGRADEÇO A RÁDIO POP PELO ESPAÇO CEDIDO EM SUA PROGRAMAÇÃO, MOSTRANDO O VERDADEIRO SENTIDO DA COMUNICAÇÃO, ABRINDO ESPAÇO PARA A COMUNIDADE. PARABÉNS!

Programa Terapêutico

A dependência química é uma doença que atinge as pessoas indiscriminadamente, de tal forma que, uma vez instalada, provoca a desestruturação total em todas as áreas do ser : física, mental, espiritual, social, familiar e profissional.

Filosofia de Atendimento
Trata-se de uma abordagem de auto-ajuda, que segundo De LEON (2003, p.220), é desenvolvida de modo primordial fora das práticas psiquiátricas, psicológicas e médicas tradicionais.
A abordagem básica do PROVITA é o tratamento da pessoa inteira, por meio do convívio em comunidade e na interação com os companheiros. Desenvolvido originalmente para atender ao problema de abuso de substâncias, foi ampliado pela inclusão de inúmeros serviços adicionais vinculados à família e prevenção à recaída.
Dentro desta perspectiva de evolução das comunidades terapêuticas, ao pensar o indivíduo como um todo, percebeu-se a necessidade de incluir mais uma etapa no tratamento de dependentes químicos. Essa etapa é chamada de prevenção à recaída, a qual ocorrem nos dois últimos meses de internação. Espera-se que os residentes deixem a comunidade para viver com sucesso, de maneira mais autônoma.

Está instalado numa área rural localizada no Bairro Alto Areal distante do Centro da cidade aproximadamente 10 Km. O PROVITA é uma entidade sem fins lucrativos e depende da contribuição de voluntários, empresários, Poder Público e comunidade em geral para que possa desenvolver suas atividades. A instituição foi considerada de Utilidade Pública Municipal através da aprovação da Lei Municipal 1542/98 e Utilidade Pública Estadual pela Lei 13.468/05.

O PROVITA trabalha em sintonia com outras entidades diretamente ligadas a grupos de apoio aos familiares tais como: AMOR EXIGENTE (que já desenvolve trabalhos em Itapema há oito anos) e o (AA) ALCÓOLICOS ANÔNIMOS.


PALAVRAS DO PRESIDENTE

O PROVITA-Projeto Vida Itapema, fundado em 13/05/1998 desenvolve atividades voltadas à prevenção, tratamento e ressocialização de dependentes químicos e alcoólicos. As ações sociais desenvolvidas pela instituição ganharão a partir de agora novo impulso em direção ao atendimento não apenas dos internos, mas também de suas famílias com a edição do Centro de Referência Cultural PROVITA. O novo Projeto que está sendo implantado sob a coordenação voluntária dos artesãos Soraya e Djalma Amaral agregará positivamente as ações já existentes na entidade, pois possibilitará o acesso a oficinas de artesanato, pintura, música, yoga, capoeira, etc. Convidamos todos aqueles que tem a sensibilidade para compreender a importância deste novo desafio a unir suas mãos às nossas para que juntos possamos fazer tudo aquilo que não podemos fazer sozinhos.

Grande abraço a todos (as)!
Mário Granzotto
Presidente
www.projetovidaitapema.org.br



DJALMA E SORAYA AMARAL COORDENADORES DO PROJETO CULTURAL

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Estréia do Sons do Brejo

O Grupo Artesanal, mediando às ações do projeto Sons do Brejo, apresenta à cidade de Bananeiras e seus distritos a música instrumental e as expressões populares produzidas pelos artistas paraibanos.

Todos os meses, a partir de Maio até Setembro, o projeto reúne músicos em torno da arte: o popular local e o instrumental clássico.

Que seria reunir a Lapinha de Jesus de Nazaré com a Orquestra Paraíba Pop? E Quinteto Brassil com Ciranda do Sol? Experimentos musicais como estes pautam as ações do grupo.

Escolhendo como cenário a cidade de Bananeiras, não esquecendo dos distritos de Roma, Vila Maia, Tabuleiro, Chá de Lindolfo e Jaracatiá, o Sons do Brejo pretende, ainda, mobilizar o processo de revitalização do centro histórico desta cidade e distritos.

Serão duas apresentações mensais de grupos populares. Uma apresentação mensal dos artistas convidados. Em cada mês, uma oficina na área de música, além de debates locais sobre cultura e desenvolvimento.

Com o Sons do Brejo, o Grupo Artesanal reforça suas ações de difusão cultural, promovendo a circulação mensal de música instrumental e cultura popular, no centro histórico de Bananeiras e distritos. O Grupo acredita que, com a promoção do projeto e, por ele, pela produção artística e para todos, a mobilização dos diversos setores sociais é capaz de promover o desenvolvimento regional.

Convergência de artes
Promover a cultura e a arte. Com esse objetivo, surge, em 1977, o Grupo Artesanal, composto por agentes culturais engajados, jornalistas, atores e educadores. As principais ações do grupo são as publicações da editora Marca de Fantasia, o Bloco Cafuçu e as produções cinematográficas, fotográficas e teatrais.

A editora Marca de Fantasia, inicialmente um projeto editorial para o fanzine “Top! Top!”, surge em 1995, atualizando-se em editora independente. Atualmente há cerca de 60 publicações da editora, a exemplo da “Coleção Quiosque”, série de livros de bolso com ensaios sobre quadrinhos e cultura pop.

A produção e organização do Bloco Cafuçu configura outra ação bem sucedida do Grupo Artesanal. O Cafuçu - agremiação carnavalesca integrante do Projeto Folia de Rua - desde 1990 promove o resgate do carnaval de rua tomando como cenário o Centro Histórico de João Pessoa.

Outras atividades culturais realizadas pelo Cafuçu são o “Santo Antônio Cafuçu”, como parte dos festejos juninos da cidade de João Pessoa, e o irreverente “Baile do Cafuçu”, no qual são eleitos os Rei e Rainha do bloco. Exposições fotográficas, lançamentos de filmes e espetáculos teatrais também são realizados pelo bloco.

Para maio:
A estréia do Sons do Brejo acontece no dia 02 de maio, no distrito de Roma, PB. No dia 03 o Sons do Brejo vai para Bananeiras. No Cruzeiro de Roma e no prédio do antigo cinema da cidade se apresentam a Orquestra Parahyba Pop, a Lapinha Jesus de Nazaré e a Filarmônica de Bananeiras.

Filmes produzidos por cineastas paraibanos serão exibidos antes das apresentações musicais. Em cartaz na estréia do Sons do Brejo está O Senhor de Engenho, filme produzido pelo Grupo Artesanal, com direção de Bertrand Lira. As mostras começam às dezoito horas.

Orquestra Parahyba Pop - A Orquestra Parahyba Pop abre o ciclo de eventos produzidos pelo projeto Sons do Brejo.

A orquestra, composta por dezoito músicos, resgata o estilo das Big Bands norte-americanas da década de 20. O repertório, contudo, mescla elementos populares e da MPB. O maestro e compositor Rogério Borges rege a Parahyba Pop.

Lapinha Jesus de Nazaré - “Eu, José Maciel de Souza, coordenador da Lapinha Jesus de Nazaré, declaro que esta lapinha tem fundadores, mas não tem data de fundação”.

Na lapinha, as pastoras formam duas alas, uma puxada pelo Anjo e outra pelo Guia, com a Cigana atrás, entre as duas, e dançam e cantam anunciando suas jornadas. Animando o cordão encarnado e o azul estão os rapazes, que tocam o violão, o cavaquinho e o pandeiro.

Filarmônica de Bananeiras – Todos os meses, desde maio até setembro, a banda de Música Lira dos Artistas, da cidade de Bananeiras, fará uma apresentação.

A banda, criada em 1997 pela prefeitura municipal da cidade, é composta por 48 músicos, e dirigida pelo Maestro José Roberto Gonçalves Fernandes.

Além das apresentações, a banda mantém uma escola de música, atualmente com 30 alunos.

Para junho:
No mês de São João, o Sons do Brejo apresenta o Quarteto de Trombones da Paraíba e a Orquestra Filarmônica de Bananeiras. No dia 06, as apresentações acontecem no distrito de Vila Maia, e no dia 07, no antigo cinema de Bananeiras. Filmes antecedem as apresentações musicais, sempre às 18 horas.

Quarteto de Trombones da Paraíba – Com dois CDs lançados, o ‘4 + Uns’, de 1996, e o ‘Paraquedista’, de 2000, o Quarteto inova na música quando agrega estilos musicais diversos, além do repertório tradicional dos quartetos de trombones.

O Quarteto de Trombones da Paraíba é formado pelos músicos pelos músicos Sandoval Moreno, Gilvando Pereira, Roberto Ângelo e Rogério Lima, todos professores do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba.

O conjunto tira o trombone de sua posição coadjuvante e o coloca na frente da cena. No repertório, além de composições de mestres do trombone brasileiro, ouvem-se frevo, o samba, o maxixe e o chorinho.

Para julho:
Em julho, nos dias 04 e 05, a música fica por conta da Orquestra de Câmara Parahybrass e da Ciranda do Sol. As apresentações acontecem no distrito Chá de Lindolfo, dia 04, e em Bananeiras, no dia 05. Filmes serão exibidos antes das apresentações.

Grupo de Câmara Parahybrass - O grupo foi formado com o intuito de resgatar e divulgar a identidade nordestina, a qual vem sendo deturpada pela industria cultural. O Parahybrass apresenta uma diversidade de ritmos nordestinos, como o caboclinho, a toada, o xote e o baião.

Parahybrass traz em seu nome a junção do nome Parahyba, antigo nome da cidade João Pessoa, e dos metais, brass, em inglês. O grupo é regido pelo compositor e trompetista Rogério Borges.

Ciranda do Sol – Cultura popular preservada pelo Mestre Cirandeiro, ou Mané Baixinho como ele é mais conhecido. A Ciranda do Sol mostra a preocupação em preservar a cultura na identidade coletiva.

Originária do bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, Paraíba, a Ciranda do Sol é formada por Mané Baixinho, que lidera o grupo, e Tina, na zabumba, Maria Cirandeira, no ganzá e João do Boi, no tarol.

Para agosto:
No dia 01 de agosto, o distrito de Tabuleiro recebe, o grupo JPsax e o Mestre João do Boi. No dia 02, o Sons do Brejo apresenta as atrações em Bananeiras. O cinema está garantido antes das apresentações, com produções de cineastas paraibanos.

Mestre João do Boi – O Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi é o único grupo dessa natureza existente em João Pessoa, PB. Possui cerca de trinta anos e cerca de vinte “brincantes”, com faixa etária que varia entre cinco e doze anos.

Os músicos compõem a orquestra do folguedo. É composta por caixa, pandeiro, reco (reco-reco), triângulo e cavaquinho.

JPSax - Formado em 1994, o JPSax está ligado ao Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba, Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Orquestra Sinfônica da Paraíba. O grupo é bastante premiado e tem experiência de longa data em participação em festivais de música.

Com três CDs produzidos, o JPSax é formado por João Leite Ferreira (sax soprano), José de Arimatéia F. Veríssimo (sax alto, clarinete), Rivaldo de Araújo Dias (sax tenor), Heleno Feitosa Costa Filho (sax barítono, flauta), Xisto Medeiros de Sousa (contrabaixo), Hélio Giovanni Medeiros da Silva (teclados) e Gledson Meira (bateria).

Para setembro:
E em setembro, encerrando a primeira temporada do Sons do Brejo, apresentam-se o Quarteto Brassil e o Maestro Mamulengo. Nos dias 05, no distrito de Jaracatiá, e dia 06, no cinema de Bananeiras. Antecedendo os grupos musicais, haverá a exibição de filmes de artistas paraibanos, sempre às dezoito horas.

Mestre Mamulengo – Toda a beleza de histórias contadas por fantoches estão nas mãos do Mestre Mamulengo. Suas histórias, bem típicas de contos de vaqueiros e de situações corriqueiras do cotidiano sertanejo, desenrolam-se por meio dos personagens mamulengos, com os quais o Mestre brinca tão bem.

Brinca no sentido lúdico, do jogo, e porque ele mesmo assim fala de suas histórias. São brincadeiras jogadas por um jovem senhor e seus mamulengos. O Mestre, que mora em Bananeiras e é um dos únicos a brincar de mamulengo no Nordeste, traz a magia do teatro de bonecos para o brejo paraibano.

Brassil – O grupo Brassil está formado por professores do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba e é o conjunto de metais e percussão brasileiro com maior repercussão internacional. O nome é um trocadilho do nome inglês brass (metal) com o nome Brasil.

Desta integração do universo acadêmico e das “Filarmônicas” do interior brasileiro, apóia-se o repertório do Brassil, resultado de pesquisa pioneira da música brasileira para metais, compilando, editando e interpretando música folclórica, popular, erudita e obras originais contemporâneas.

O Quinteto BRASSIL possui quatro CDs gravados. Seus integrantes são músicos engajados com a pesquisa musical. Ayrton Benck, Cisneiro Andrade, Gláucio Xavier, Radegundis Feitosa e Valmir Vieira integram o quinteto.

Para mais informações:
Diógenes de Luna – Assessor de Imprensa do projeto Sons do Brejo
Mtb 2666 – DRT/PB – (83) 8884.3596 - diogenesdeluna@gmail.com

quarta-feira, 23 de abril de 2008

2º Festival de Cinema na Floresta


Veja a lista de filmes selecionados para 2º Festival de Cinema na Floresta

Foi divulgada na manhã desta terça-feira (22) a lista dos selecionados para a segunda edição do Festival de Cinema na Floresta, que acontece de 04 a 10 de maio na cidade de Alta Floresta/MT. Foram mais de noventa inscrições recebidas de 13 estados brasileiros e ainda de Portugal. O estado com maior número de inscrições foi o Rio de Janeiro, seguido por Mato Grosso e São Paulo.

Uma pré-seleção das inscrições recebidas foi realizada por uma comissão montada pelo Cineclube Floresta, entidade promotora do evento, liderada por seu presidente, Agostinho Bizinoto. Em seguida, a curadoria, coordenada por Paulo Traven da Associação Mato-grossense do Audiovisual, de Cuiabá, finalizou os trabalhos, apontando as 34 obras, que comporão a programação oficial do evento.

O 2º Festival de Cinema na Floresta é um evento que tem como finalidade principal seqüenciar a inclusão de Alta Floresta e região no desenvolvimento, aprendizado de técnicas e de produções na modalidade artística e cultural do audiovisual, importante instrumento contemporâneo de informação, formação e engajamento social. Além da exibição dos filmes, a programação será composta por oficinas de cinema e palestras.

A seguir, relação das obras selecionadas:

Vídeo-Clipes:

A PRAIA – Rio de Janeiro/RJ

BONS SONHOS – Belo Horizonte/MG

SIMANCA MEW – Sinop/MT

AS COISAS – Rio de Janeiro/RJ

SHIFT: O MACACO BONG – Cuiabá/MT

HOMEM-ESPUMA – Belo Horizonte/MG

Curta-metragens:

O JUMENTO SANTO E A CIDADE QUE SE ACABOU ANTES DE COMEÇAR – Olinda/PE

BARTÔ – Goiânia/GO

SEM TÍTULO – Jundiaí/SP

CINE ZÉ-SOZINHO – Fortaleza/CE

CORA CORALINA: O CHAMADO DAS PEDRAS – Brasília/DF

ANHANGÁ: ALMA QUE CORRE – Goiânia/GO

O MAPINGUARI – Salvador/BA

HERANÇA – Santa Maria/RS

HORIZONTEM – Chapada dos Guimarães/MT

VOLTAGE – Olinda/PE

AMAZÔNIA BIODIVERTIDA: O TÚNEL DO TEMPO – Piedade/SP

VIDA MARIA – Fortaleza/CE

ATÉ O SOL RAIÁ – Recife/PE

SETE VIDAS – Cotia/SP

ELE – Vitória/ES

PELA TELA, PELA JANELA – Campina Grande/PB

UM RAMO – São Paulo/SP

A VOZ DO DESEJO – Lisboa/Portugal

Média-metragens:

FRONTEIRAS – Sinop/MT

ICOLOGIA – Goiânia/GO

ISABEL – São Paulo/SP



Longa-metragens:

ESTAMIRA PARA TODOS E PARA NINGUÉM – Rio de Janeiro/RJ

ALUCINADOS – Rio de Janeiro/RJ

CÉU E ÁGUA – Cuiabá/MT

PÏRINOP, MEU PRIMEIRO CONTATO – Olinda/PE

DESERTO FELIZ – Recife/PE

3 EFES – Porto Alegre/RS

WAITING FOR EUROPA (À ESPERA DA EUROPA) – Lisboa/Portugal


Mais informações sobre o 2º Festival de Cinema na Floresta podem ser obtidas pelo e-mail cineclube_floresta@hotmail.com ou pelo telefone (66) 3521-1760

sábado, 19 de abril de 2008

CURTA-SE 8 - FESTIVAL IBERO-AMERICANO de CURTAS-METRAGENS de SERGIPE

O CURTA-SE 8 tem por finalidade levar ao público sergipano a produção de cinema e vídeo ibero-americana, e o intercâmbio entre os realizadores brasileiros e os países ibero-americanos.


É um evento realizado pelo Centro de Estudos Casa Curta-SE e conta com o patrocínio de empresas públicas e privadas, através de Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).



TEXTO DO SITE DO CURTA-SE 8

==========================================================



Serão exibidos filmes de


Sergipe, Minas Gerais, Santa Catarina, Ceará, Uruguai, França, Portugal, Paraíba, México, Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Paraná, Espírito Santo, Bahia, Hungria, Cuba, Rio Grande do Sul, Pernambuco


... saiba quais foram os

FILMES SELECIONADOS


A programação completa, com CURTAS, LONGAS, CURSOS, PALESTRAS, WORKSHOPS, MOSTRAS COMPETITIVAS E MOSTRAS INFORMATIVAS, ENCONTRO DE CINE-CLUBES, etc, está no link abaixo


PROGRAMAÇÃO




além de termos também alguns

HOMENAGEADOS



Como forma de democratização e sociabilização da informação cultural, o acesso aos filmes será feito com a troca de ingressos por 1kg de alimento não perecível. As oficinas e Workshops mediante inscrições, e acesso livre em boa parte dos eventos. Está tudo no link PROGRAMAÇÃO acima.


Seu estado não está representado?! AGENDE-SE para o próximo CURTA-SE, multiplique essa informação. Quem sabe nos veremos por aqui ano que vem?


Centro de Estudos Casa Curta-SE
Rua Teixeira de Freitas, 175, Bairro Salgado Filho
Aracaju-SE CEP: 49020-530
Tel.: (550xx79) 3246-6265
operacional@curtase.org.br

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Dia do Índio - Índia Paraguassú

Paraguassú - A Índia que encantou Caramuru - Diogo Álvares Correia.

CATARINA PARAGUASSÚ, índia filha do chefe da Tribo Tupinambás, Cacique “Itaparica”. Viviam no litoral baiano. Esposa do navegador português Diogo Álvares Correia.

Que naufragou no litoral baiano geograficamente numa praia do bairro do Rio Vermelho, localizado na praça da Mariquita – Largo do Rio Vermelho – Estado da Bahia. hoje um bairro boêmio da Cidade do Salvador.

Após ser abordado por índios considerados canibais, o mesmo navegador disparou sua arma de guerra para se defender dos ataques índigenas, que assustados diziam: “Caramuru” – “Deus do fogo Rei do trovão”. E deram a ele a índia Paraguassú para esposa então, filha do Cacique Morumbixaba.

Alguns historiadores, afirmam que o jovem Caramuru a levou a países, lá a índia foi batizada com o nome de Catarina de Médicis (mesmo nome da Rainha). Que lhe serviu de madrinha e ali mesmo foi realizado seu casamento. Paraguassú teve quatro filhas que se casaram dando origem a descendências ilustres de muitas famílias baianas. Uma de suas filhas Madalena foi a 1ª mulher brasileira a saber ler e escrever. E muito se empenhou para a libertação do elemento servil do Brasil.

Desta família faz parte a celébre casa da Torre Garcia D´Avilla, na Ba - Importante pelos serviços prestados ao Brasil.

Com mais de 80 anos, morreu Catarina Álvares ou Paraguassú, sendo enterrada na Igreja do Mosteiro de Nossa Sra. Da Graça. Que a mesma fundou junto ao seu esposo. E dizem que um dos seus presentes de casamento assim como alguns dos jardins “ hoje de propriedade particulares” do bairro da Graça.

Na sua sepultura lêem-se: “Sepultura de Dona Catarina Álvares Paraguassú, Senhora que foi desta Capitania da Bahia, a qual ela e seu marido Diogo Álvares Correia, natural de Viana, deram aos senhores Reis de Portugal: Edificou esta capela de Nossa Sra. da Graça e deu-a com as terras anexas ao Patriarca de São Berto no ano de 1582.”
*Biografias de Personalidades 7ª Ed. Profª Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira - 1966.



DADOS HISTÓRICOS ATUAIS - Fonte 2: Os livros escolares de História do Brasil narram o célebre episódio ocorrido entre o europeu Diogo Álvares Corrêa e os índios tupinambás. Mas não especificam em qual trecho do litoral de Salvador o encontro teria ocorrido.

Relatam apenas que o jovem Diogo, sobrevivente de um naufrágio, desferiu um certeiro tiro numa ave que voava à vista dos inamistosos nativos. Por desconhecerem armas de fogo, os índios ficaram perplexos e começaram a gritar: Caramuru! Caramuru! Caramuru!, que na língua tupi significa “homem de fogo”; filho do trovão; dragão saindo do mar”.


“De acordo com historiadores baianos, dentre eles Pedro Calmon e Cid Teixeira, foi no bairro do Rio Vermelho que tudo aconteceu, tendo como palco a Pedra da Concha, uma ilha rochosa situada na enseada da Mariquita. Esse acontecimento marcou a chegada do primeiro homem branco em terras do Rio Vermelho. Em vista disso, o Caramuru, como Diogo Álvares Corrêa ficou conhecido, constituiu-se no Descobridor do Rio Vermelho.”

Fonte: ACIRV - Associação que preserva a imagem do navegador Caramuru, idealizadora de dos muitos feitos no bairro do Rio Vermelho em preservação do local, realização de obras. Visite e conheça mais sobre a história do bairro, programações, história do casal histórico, suas praias e diversões. ACIRV http://www.acirv.org/hp/revista.asp?id=29&tipo=geral

*Assistam um vídeo produzido e cedido por um integrante do ABRACADABRA/SP: MAURÍCIO BUSINARI -

HI-BRAZIL - Maghma - Em homenagem ao Dia do Índio.

http://www.youtube.com/watch?v=fmm9LN8b0iE

FOTOS: GOOGLE